MONTE DOURADO – PARÁ

MAPA AMAP%C3%81 MONTE DOURADO   PARÁEra 1998, depois de ter chegado a Almerin, Pará numa carona de barco pesqueiro, que estava retornando de Belém do Pará com direção ao Alto Solimões fui por estrada, sempre de carona, para Monte Dourado, pois meu objetivo final seria chegar a Oiapoque, Amapá, o ponto extremo do Brasil.

MONTE DOURADO 150x150 MONTE DOURADO   PARÁMonte Dourado, Pará é uma cidade considerada modelo, encravada na selva Amazônica, a beira do rio Jari. A cidade é modelo, porém em torno dela talvez não. Ali está o famoso projeto Jari (final da década de 60), do falecido norte-americano Daniel Keith Ludwig, o qual sonhou em construir a maior fábrica de celulose do mundo na Amazônia brasileira. Deu certo? Talvez! – Hoje ela foi vendida e sei lá o que mais produz, além da celulose.

 

jari2 MONTE DOURADO   PARÁ

Eu não sabia de nada antes de chegar lá, por isso sempre gostei de ser um viajante e raramente buscar informações dos locais antes de ir. Você tem o fator surpresa e isso é muito bom quando se está viajando. Já, quando se faz igual aos mochileiros e pacoteiros, os quais buscam de tudo que é forma obter informações dos locais de destino, perde-se o fator impacto.

images2 300x225 MONTE DOURADO   PARÁA cidade é muito limpa, com todas as ruas bem feitas, belas praças, escolas, sem pobreza, um sonho dourado, ali, todos trabalham direta ou indiretamente por causa do Jari. – Ao seu redor vê-se uma selva linda – Bom se assim fosse, o que se vê é uma plantação de eucalipto a perder de vista. Fonte básica da gigantesca fábrica de celulose. Floresta está do outro lado do rio.

plantacoes de eucalipto 4 300x225 MONTE DOURADO   PARÁEu sou um “cara” de sorte, conheci um dos gerentes da fábrica e este me levou a conhecer as plantações, alguns projetos, linhas de trens que foram desativadas e a cidade de Monte Dourado, a qual recebeu este nome por parecer ser um sonho possível na Amazônia. Ela foi toda projetada.

A cidade causa um impacto, pois foi construída em moldes totalmente diferentes das outras da região amazônica, se fosse no sul do Brasil seria apenas mais uma, provavelmente, uma bem simples, mas ali naquele local, como pode? O complexo Jarí também impressiona, pois é uma fábrica gigante.

SDC120721 300x225 MONTE DOURADO   PARÁEntretanto, o grande choque está no contraste de margens. Na outra margem do rio Jari, já estado do Amapá, situa-se a cidade de Laranjal do Jari. Basta apenas atravessar o rio, numa daquelas pequenas voadeiras (nome popular dos barcos movido a hélice na Amazônia) e vê-se a maior favela fluvial da Amazônia. Que incrível! O que vi foi um choque, nunca vi algo assim. Um contraste de tudo, tanto cultural, quanto estrutural.

De um lado uma cidade modelo com uma super fábrica e plantações de eucalipto, do outro, a maior favela fluvial do Brasil e uma selva.

 

F151 MONTE DOURADO   PARÁ

Tudo bem que há altos projetos de sustentabilidade, porém é uma coisa a ser pensada, sempre: É realmente sustentável? É possível ser sustentável? Vale a pena toda a nossa ganância por bens materiais? Favelas são fatores culturais?

Depois de dois dias em Monte Dourado atravessei o rio, pois queria ir para Oiapoque. Em Laranjal do Jari fiquei preocupado e temi um pouco pela minha segurança.

Um rápido vídeo amador que encontrei na web

E Laranjal do Jari?

Continua na próxima postagem, clic aqui

Fotos cedidas