ARRAIAL

O tempo mata as lembranças, mas rever locais fazem coisas mortas reviver…

Foi no Arraial D’Ajuda, Bahia, Arraial para os moradores, que houve a febre do ritmo lambada, mais especificamente no Jatobar… Como esquecer aqueles tempos? Anos 1990, e início dos anos 2000…

Trabalhei 8 meses nesta lojinha em 1999. Na ocasião vendia roupas artesanais feitas de saco de farinha somente para mulheres = Melhor emprego do mundo!…

Hoje tudo é diferente no Arraial, ainda até tem uma magia, mas é insignificante perante o tudo que foi: Os olhares eram diferentes, os cheiros, as noites, os dias, a liberdade pegava fogo, ninguém queria saber o que o o outro fazia, todos incentivam o Ser livre…. Eram tempos que Reis e Rainhas ali estavam…

Quem lembra quando a Broadway foi calçada?

Quem lembra quando pela primeira vez cruzou a pracinha matriz uma garota usando salto alto?

Quem poderia imaginar que a rua do Mucugê iria se transformar na rua mais charmosa do nordeste? = O Arraial exportou para todas as ex-vilas de pescadores nordestinas o modelo que deveriam seguir…

Quem poderia imaginar que a cada esquina haveria um show de música ao vivo naquela pequena vila?

Já as recordações só podem imaginar e sentir quem viveu momentos auges por estes lados… O olhar vai longe no Arraial!

Alguém disse: “Quem não tem dinheiro conta história”

“Viver uma vida viajando é a maior Arte possível”