A MELHOR CARONA DO MUNDO

Contam que um Viajante, no ano de 2001, numa viagem pela Argentina, depois de uma carona que lhe deixou em Buenos Aires, resolveu ir até o Chile. Na estrada esticou o dedo a espera de uma boa alma para levá-lo ao seu próximo destino, a cidade de Rosário, que por estar sem mapa, ele achou que seria a estrada que o levaria a Mendoza. Como sempre ele errando os caminhos, mas graças a isso iria ter a melhor carona do mundo.

mapaargentina

carro argentina

Não demorou muito, um carro parou metros a frente de onde estava, um desses modelos 4 x 4 modernos. O Viajante rapidinho foi ao seu encontro e era uma mulher ao volante. Feitas as perguntas de onde se vai e se pode levar, tudo acertado, e sentou no macio banco do carro. Contente, pois havia conseguido uma carona… mais que contente, a motorista era uma mulher com seios muito avantajados, um rosto de uma típica argentina, uns 35 anos, cabelos pelos ombros.

argentina lagos

No caminho foram conversando, por naturalidade, o Viajante que era um brasileiro, disse estar sem dinheiro e que seu destino era o Chile, porém sem pressa de chegar, pois não tinha tempo a cumprir, apenas o usufruir de seu tempo.

A argentina era uma fiscal, tipo de nossa Receita Federal, estava indo com destino a Catamarca, bem mais ao norte, e pouco antes de chegar a Rosário fez uma proposta decente e irrecusável:

Tu quieres ir conmigo hasta Catamarca?

Salta-Cachi

Como recusar um pedido de uma mulher bonita e solitária viajando, mesmo sabendo que desviaria de seu caminho?! Catamarca fica mais ao norte.

Depois de aceito o convite, a conversa se tornou um pouco mais íntima, reveladora e com necessidade de acertar alguns detalhes do que seriam os próximos dias.

viajantes

A primeira coisa é que ficariam num bom hotel (pago por ela) em Catamarca, o mesmo que ela sempre costuma hospedar-se, porém ela iria dizer aos recepcionistas que o Viajante era um primo brasileiro passeando, no hotel estavam acostumados com a sua presença. Ela era casada, mas viajava sozinha a trabalho.

Segunda coisa e meio sem jeito disse que, por isso iriam pedir um quarto com duas camas de solteiro.

Terceira coisa é que ela, durante o dia precisava sair e fazer suas obrigações, e o Viajante ficaria sozinho, mas para ele aproveitar para conhecer a cidade, com a generosidade dela, teria dinheiro para poder comer e comprar alguma coisa que quisesse.

restaurante Caburé

Tudo estava perfeito, o Viajante delirava com sua sorte, e a solitária casada fiscal mais contente ainda. Sempre dizendo que jamais fez isso na vida, que nunca teria coragem, mas por algum motivo queria experimentar uma aventura. E assim foi: Quatro dias maravilhosos, no final da tarde ela chegava, batia a porta do quarto e lá estava o Viajante para poderem brincar do jeito que desejassem.

Pela noite saiam a caminhar, jantavam… riam muito e ironizavam o quanto é a vida sem aventuras, para depois se perderem por horas e horas no quarto do hotel. No último dia, ela chegou mais cedo, e foram passear de carro por algumas estradas vicinais por montanhas bonitas.

argentina

E chegou o dia da despedida, na rodoviária ela o deixou, entretanto fez questão de lhe comprar a passagem de ônibus até San Luis. Já contente por tudo que havia se passado, o Viajante ainda ganhou de presente dinheiro suficiente para chegar até o Chile de ônibus.

O Viajante não lembra o nome desta mulher, também ela não quis dar-lhe seu e-mail, e disse:

Jamás nos veremos otra vez, tú fuiste mi gran aventura, ahora vuelvo para mi casa.

estradas viajantes