O PEIXE NO AQUÁRIO

Um peixe dentro de um aquário se sente protegido dentro de sua redoma de vidro. Ele crê que sua vida é segura enquanto ali está. Se sente abalado quando forças externas o movem de lugar, não a ele, mas sim o aquário que habita. Ir para outro canto da sala, ou o trocar de água. Se sente que irá ser tocado fica em estado de pânico e duvida do que será sua vida, pois não sabe se irá para outro aquário ou se será sua morte.

Imaginem um peixe dentro de um aquário mergulhado num rio. Como ele observa a vida, como ele crê que é a vida? Ele crê do ponto de vista de um peixe dentro de um aquário, e por mais que veja os outros peixes no rio a nadar não consegue assimilar como é a vida dos outros peixes. Pode até crer que vive igual a eles, pois peixe é, mas não tem noção de que uma vida no rio requer habilidades para com o viver, coisa que o peixe do aquário desconhece. O peixe do aquário é submisso e precisa agradar aquele que o domina, já o peixe no rio é livre.

Peixes num aquário, muitos: – imaginem – Ele falando a peixes que habitam no rio. Que loucura deve ser. Ele dizendo para os peixes livres como tem que ser a vida. Que ele é o consciente, que venceu, pois está protegido de uma vida de riscos, a qual ele não se submete.

Tudo é artificial ao redor…Ainda que não transpareça!

Na real, esse é o estado de loucura dos peixes do rio. Os que ficam a crer na vida num aquário, e pior; crer no que peixes que vivem dentro de um aquário sabem o que é o viver. Entretanto de tão tonto que se tornam – esses peixes de rio que admiram o aquário – Acabam achando que quando o peixe do aquário diz que vai cair água dos Céus, os tontos que o seguem acreditam que ele tem razão. Isso devido já estarem em estado de retardamento mental e não conseguem perceber que águas caem do Céu, e é normal, pois isso se chama chuva.

O peixe que vive dentro de um aquário não tem noção do que é a vida num rio. O que ele vê é através de uma camada de vidro, ou tela e disso passa a crer ser a realidade ali dos peixes no rio. (por isso nunca devemos crer em quem não está vivendo uma vida prática e vive de informações em tela). Peixes num aquário são sempre bobos, limitados, tolos, repetem movimentos e pensamentos, não conseguem passar disso… E, tem pavor de pensar uma vida livre a nadar num rio!

Claro, óbvio, o peixe que vive num rio não consegue crer que o peixe num aquário abdicou de uma vida livre em nome de ter uma redoma de vidro para lhe proteger. Mesmo porque, peixes livres aprenderam que aquela redoma facilmente pode se quebrar e aí o peixe do aquário morre. Ele não tem por onde escapar, está sob domínio do dono do aquário, o qual ele costuma chamar de Deus, mesmo sendo um mortal que o domina.

Peixes num aquário costumam ter sua mente e seu corpo com menos potencial que os peixes dos rios. Não precisa ser escrito o porquê, pois creio, até debilitados sabem que o que faz o crescimento é a prática e o exercitar as habilidades.

Peixes num aquário que vivem dentro de um rio, ficam o dia a observar os que estão livres a nadar pelo rio. Olham sua alegrias, suas tristezas, e ficam a olhar, pois justamente são debilitados do viver livre. Apenas sonham como deve ser a vida do peixe que nada no rio. Ora tem pavor, ora inveja, ora nada, pois a cabeça só serve para vivenciar a coisa repetitiva… No final, ficam a nadar em sua redoma de vidro.

Imagine então um aquário com muitos peixes, o que eles acham que é a vida? Imagine o quão devem ter temor caso o dono do aquário resolva fazer algo diferente?

Peixes num aquário só servem para nada…. apenas para serem usados pelos seus donos. E jamais tem o poder de sobreviver por si só, por isso nunca estarão com uma vida livre a nadar por onde alcançam. – O nadar do peixe do aquário sempre é limitado – E…, em caso de uma tragédia maior não tem para onde fugir, pois, além de não saberem o que fazer fora do aquário estão presos a sua própria dita segurança…