VIAJAR DE MOTORHOME PELO BRASIL

Primeira parte, clic aqui

Tirando a questão da violência e manutenção, os quais estão postados na primeira parte, o que dá receio em viajar de motorhome pelo Brasil?

Litoral norte São Paulo

Litoral norte de São Paulo

O pagar = Sempre precisa ficar esperto para não ser explorado, pois muitos veem motorhome como fator riqueza, portanto, cobram mais caro. Seja em oficinas mecânicas, campings, estacionamentos, etc.

manutenção de motorhome

O esquecer de desligar, ou não guardar alguma coisa no lugar certo e essa vier a quebrar. Para conseguir outra igual, dependendo de onde se estiver será complicado. Por isso, muitos têm receio de sair para viajar para mais longe de seu habitual. Ficam com receio de não saber o que fazer. A técnica é simples: Quebrou, faz um quebra-galho ou fica sem.

linha equador

Na linha do Equador – Roraima

Água no litoral nordestino costuma não ser muito legal. Isso sempre nos incomodou nas viagens, em muitos postos são água de poço salobra, até em alguns campings beira-mar (comum na Bahia). Eu jogava um pouco de água sanitária no tanque depois de enchê-lo.

sertão nordestino

Sertão nordestino

Estradas = De um modo geral o asfalto da maioria está bem, o maior problema é a falta de sinalização nas vicinais. Em boa parte o GPS não funciona, mapas em papel ajudam muito, informações do povo nem sempre são confiáveis.

Bonfim1

Na beira do Rio Araguaia, estado de Tocantins

Arraguaia5Passar por cidades: As estradas não são todas em autopistas, aliás, a maioria não é. Portanto, há que se passar por dentro de inúmeras cidades. Isso dá receio: O que tem de cidade mal sinalizada, com ruas estreitas, com ruas sem saída, com árvores mal podadas, com parte da população que prefere caminhar pela rua em vez da calçada. Quanto maior o motorhome, mais dificuldades terá. Quem viaja para todos os rincões de motorhome tem que se acostumar a olhar para os lados e para cima, e ter muita paciência, e muitas vezes perguntar: “Passa carro grande por aquela rua”.

 

Trindade

Com amigos em Trindade, Paraty

Preço do combustível: Não tem regra, portanto, agradecer se conseguir abastecer num menos caro e de boa qualidade.

foz do iguaçu

Comemorando o aniversário da amiga karina em Foz do Iguaçu, Paraná

Voltagem: Não digo 110 ou 220 volts, e sim: “É boa ou ruim?” – O que tem de lugares, principalmente no norte e nordeste onde a energia é fraca, e isso pode causar danos nos aparelhos elétricos/eletrônicos. Já viajei por locais aonde 110 volts na realidade chegavam 90 volts. Igualmente 220 volts, chegavam 170 volts. Tendência desses locais é a noite piorar bem. Muitos nem conseguem ter força para ligar o ar condicionado do motorhome.

timoteo

Em Timóteo, Mina Gerais, na casa do amigo, grande amigo Geraldo

Policia rodoviária: Nunca tive problemas, sempre foram gentis. Quem viaja de motorhome é família, portanto eles não incomodam.

Paraty75

Sombra: Taí uma coisa que incomodava; ficar no calor sem ter sombra pode incomodar muito, e nem sempre se consegue uma. A questão é: Sombra há, porém não que tem a altura de um motorhome. Tanto com árvores, quanto em coberturas artificiais.

amazonia

Nova Airão, Amazonas

Comidas: Os mercadinhos em cidades pequenas não costumam ter tudo aquilo que as pessoas querem consumir. Melhor se precaver ou se habituar ao que tem.

Thor e Melissa

Sacar dinheiro: Isso não dá receio, em qualquer cidade tem caixas eletrônicos, ou pelo menos na grande maioria. Se não tiver naquela, com certeza, na próxima cidade terá.

serra do Roncador

Serra do Roncador – Mato Grosso

Danos costumeiros: Riscar o motorhome, calibrador de pneus desregulado, pneus mal consertados. Falta de zelo, caso necessite, de manutenção por parte de terceiros, curiosos, pessoas que se dizem “especialistas”, mas que não sabem o que estão arrumando… Tudo isso acontece.

Pocone

No Pantanal

Por todos esses problemas, os quais quem viaja de motorhome acaba se acostumando faz com que muitos, para não dizer; a maioria, não viaje pelo Brasil, e quiças pelo mundo. Quando viajam, sempre fazem o mesmo trajeto para evitar aborrecimentos, porém, deixam de viver e conhecer coisas espetaculares. E, aqui entre todos: quem faz sempre o mesmo trajeto não é um conhecedor, e sim um rotineiro. Conhecedor é aquele que descobre e percebe que não foi tão difícil assim.

Terra de macunaima